Pular para o conteúdo principal

[Reflexão] É fácil e prático não ser uma mãe presente

É muito difícil ser presente.

Presença requer tempo, se colocar no lugar da criança, ignorar suas próprias frustrações, medos, inseguranças e acolher esses mesmos sentimentos do nosso filho. E isso e digo para realidade de mães que trabalham fora e as que não trabalham fora.

Eu fico em casa, não trabalho fora mas tenho muito trabalho em casa.

Além de todas atividades ainda tenho as crianças. Levar, buscar na escola, escovar dentes, trocar de roupa, limpar bumbum, dar almoço, dar banho, recolher as cascas de banana, picar maça, servir bolo, servir janta, colocar para dormir, ler livro, levar para passear, estar sempre na escola desenvolvendo melhorias, participar das reuniões do Conselho e escolher junto com a escola qual melhor investimento a fazer, participar da CPA( veja aqui o que é aqui) e discutir melhorias. Ler as mensagens dos pais no whatsapp, anotar dúvidas e ideias e levar para a escola. Ajudar a ni aprender a ler, ajudar as gêmeas com coordenação viso motora fina, oferecer brincadeiras de pintura, colagens, colar atividades prontas na parede para valorizar o trabalho delas.Ver todas as mochilas, retirar roupa suja, adicionar roupa limpa, ler todos cadernos,assinar. Pentear cabelos, pesquisar na internet penteados para inventarmos. Ler artigos e posts sobre criação de filhos e psicologia infantil.

Isso tudo acima já pode ser considerado como participar da vida das minhas filhas, apesar de me sobrecarregar bastante não é difícil fazer, tenho prazer em fazer.

Difícil mesmo é estar presente. Estar ali com elas de corpo, alma e pensamento. Quando estivermos brincando, não estar pensando nas mensagens que tenho que responder nem nas tarefas que ainda não fiz. Não descontar meu nervoso nelas caso algo não der certo. Manter meu tom de voz mesmo que tenham feito algo que eu não queria. 

Quero que elas se sintam confortáveis em me contar tudo sem medo da minha reação. Que se sintam amadas apenas por serem minhas filhas e não porque fez algo que gosto. Quero estar sempre por perto de mente e pensamento para quando me contarem algo, minha mente esteja ali e eu não reaja da maneira errada porque entendi errado pois meus pensamentos estavam na louça que eu ainda não lavei. 

É difícil também dizer "não" quando é preciso e ouvir um choro eterno que não te traz pena, mas raiva, porque o choro irrita quando na verdade tudo que você queria era ter paciência e abraçar, mas é dificil demais agachar centenas vezes por dia e ,mesmo querendo estar chorando de cansaço e culpa, ter que acolher o choro do filho.

É fácil tercerizar a educação do filho. É fácil deixar na escola 10 horas por dia. Difícil mesmo é ser presente...de corpo, alma e pensamento nos momentos que estamos juntos.

Comentários

  1. Oi Aline
    eu tava pensando sobre isso esses dias
    Parei p me colocar no lugar do Arthur
    Eu deixo ele na creche 7h, vou trabalhar, volto pra casa 18h e qd chego só qro banho e cama MAS lá está meu pequeno, tentando monopolizar minha atenção!
    Tanta coisa pra fazer e ele qrendo brincar...
    Esses dias ele me chamou pra deitar e assistir um desenho que ele já iu milhões de vezes e eu disse que n podia, que tava ocupada... saí e fui fazer o tal serviço. Até que a culpa me bateu e voltei pro quarto, ele ficou tão feliz, me contando sobre o desenho, identificando todos os animais e fazendo inúmeras perguntas... ali eu percebi que mesmo com tanto pra fazer, meu filho deve vir primeiro. Não que eu vá chegar em casa, deitar e deixar td p lá, mas eu preciso incluir na minha 'agenda' o momento de parar e curtir meu filho, de deixar ele me mostrar as evoluções dele...
    Depois que ele dormiu, eu fiz o que tinha pra fazer e fui dormir mais tranquila, certa que doei além do meu tempo, minha atenção pro ser mais importante nesse mundo!

    Bjooo
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo Fer, realmente não é fácil mas eles passam e casa fica. Serviço de casa vai ter pra sempre, sentar pra ver um desenho não.
      <3

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Porque o Chá de calcinha (ou Chá de Desfralde) é uma bobagem

Babaquisse sem limites ☝
Chá de calcinha ou chá de desfralde é a nova moda de agora. (recebemos os prints que compõem o post e resolvemos escrever sobre isso.)



Estamos criando uma sociedade fast, tudo tem que ser feito rápido, tudo tem prazo de validade e tempo cronometrado. É o mais novo/velho discurso: Quanto mais cedo melhor. A geração Alpha. Sim queridos amigos, quem tem a minha idade já ouviu sobre a geração x,y e z. Mas estamos na geração Alpha, a dos mais inteligentes mas também dos maiores casos de TDAH. A geração da tecnologia, a geração youtube, a geração FAST, a geração que não sabe esperar, que não entende uma palma da mão estendida, mas entende muito bem um quadrado vermelho com um play branco no meio.
Nossos filhos nascidos depois de 2010, os alphas: Tem idade certa para bater palmas, para andar, para falar, para ser alfabetizado, idade para desfralde. Com certeza você já deve ter passado por uma dessas pressões e ter sentindo enorme frustração por não se encaixar no pa…

Era só pedir...

Esse fim de seamana me deparei com esses quadrinhos mega realistas. Foi traduzido do francês pela Bandeira Negra.
Post Original da Bandeira Negra.
Post Original da Emma em francês.




O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…