Pular para o conteúdo principal

Sofri violência obstétrica. Devo denunciar?

Em um encontro humanizado em preparação ao meu parto, um dia desses, surgiu a questão de que "não adianta nada denunciar", ou porque "não vai dar em nada", ou porque "só vai gerar estresse" e etc...
Até concordo que não dê em nada, mas sabe porque não dá? Porque é uma entre as dez que sofreram violência obstétrica que denunciam. Então fica parecendo que  aquela é a louca.  Já parou pra pensar que sua omissão pode estar prejudicando outras mulheres que gostariam de ter um parto humanizado mas não tem porque o índice de denúncias do hospital era baixo, ela achou que seria o melhor, escolheu, porém sofreu todas aquelas coisas horríveis  (pra mim são horríveis e desumanas, passíveis de uma indenização daquelas, mas sou suspeita pra falar isso né? Aliás, nem posso. Enfim). Talvez não resolva nada mesmo, até porque não vai tirar o seu trauma, não vai voltar o tempo e nem fazer você ter seu bebê novamente de forma respeitosa como sonhou. Mas vai ajudar uma próxima mãe a ter o seu.
E tudo o que eu faço na vida eu penso na repercussão que vai ter. Assim como meus textos.  Talvez milhares leiam mas se apenas uma for tocada para mim foi o suficiente,
Como aquela tradicional história do menino que todo dia colocava uma estrela do mar de volta ao mar e todo dia surgiam várias na praia. Ao ser questionado porque ele fazia isso se ele não conseguia devolver todas ao mar, ele respondeu: PORQUE PRA ESSA EU FIZ A DIFERENÇA.
Talvez seja o seu texto de insatisfação nas redes sociais, sua denúncia anônima no disk denuncia ou simplesmente o seu falar sobre o assunto com outras mães que irão fazer a diferença.
Você é só uma entre várias, mas se todas denunciarem, seremos uma grande corrente e as próximas mães poderão ser respeitadas nesse momento incrível da vida.  E teremos colaborado pra mais crianças virem ao mundo de forma harmoniosa e respeitosa, e você saberá que fez parte disso.


Mas afinal, quais são as violencias obstétricas?

                                         Violência física no atendimento obstétrico
  • Limitações de dieta e posicionamento
  • Episiotomia como lesão corporal 
  • Indução de trabalho de parto
  • Amniotomia
  • Manobra de Kristeller
  • Fórceps
  • Agressão física
  • Abuso sexual
  • Exposição, desprezo à privacidade
  • Cesariana desnecessária



Violência verbal no atendimento obstétrico
  • Termos e expressões vexatórios
  • Comentários, xingamentos


Violência moral (ou psicológica) no atendimento obstétrico
  • Ameaças veladas ou expressas
  • Indução da vontade (cesariana eletiva)
  • Mentiras
  • Não permitir acompanhante
  • Privação de roupas, celular, documentos, comunicação


Se você passou por qualquer uma dessas violencias veladas, pode sim denunciar 
Violência Contra a Mulher – 180, ou disque-saúde - 136
e inclusive procurar seus direitos (estes falarei em um post reservado para ele, sendo inclusive tema do meu TCC).

Em matéria publica no G1, há mais dicas de como denunciar e porque. Vale a pena ler também



Lembre-se: Não é só por você, é por todas nós!
 Unidas somos mais!

Bruna Francine

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porque o Chá de calcinha (ou Chá de Desfralde) é uma bobagem

Babaquisse sem limites ☝
Chá de calcinha ou chá de desfralde é a nova moda de agora. (recebemos os prints que compõem o post e resolvemos escrever sobre isso.)



Estamos criando uma sociedade fast, tudo tem que ser feito rápido, tudo tem prazo de validade e tempo cronometrado. É o mais novo/velho discurso: Quanto mais cedo melhor. A geração Alpha. Sim queridos amigos, quem tem a minha idade já ouviu sobre a geração x,y e z. Mas estamos na geração Alpha, a dos mais inteligentes mas também dos maiores casos de TDAH. A geração da tecnologia, a geração youtube, a geração FAST, a geração que não sabe esperar, que não entende uma palma da mão estendida, mas entende muito bem um quadrado vermelho com um play branco no meio.
Nossos filhos nascidos depois de 2010, os alphas: Tem idade certa para bater palmas, para andar, para falar, para ser alfabetizado, idade para desfralde. Com certeza você já deve ter passado por uma dessas pressões e ter sentindo enorme frustração por não se encaixar no pa…

Era só pedir...

Esse fim de seamana me deparei com esses quadrinhos mega realistas. Foi traduzido do francês pela Bandeira Negra.
Post Original da Bandeira Negra.
Post Original da Emma em francês.




O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…